Trapalhadas ajudaram narrativa petista

“A decisão do juiz Rogério Favreto para libertar Lula foi risível. Participar de eleições não é justificativa razoável para tirar alguém da prisão. Mas quem interpreta o cotidiano com os óculos da hashtag “LulaLivre” viu em Favreto um redentor. E a interferência atrapalhada de Sérgio Moro logo em seguida só reforçou a narrativa de que o sistema judicial brasileiro persegue petistas e era necessário um herói para trazer equidade à Justiça”, assim resume o pesquisador do Cepesp, Sérgio Praça, o episódio prende-solta envolvendo o ex-presidente Luiz Ignácio Lula da Silva.

Cientista político, Praça prossegue em seu blog na revista Veja: “Mais interessante do que entender as interpretações sobre o último domingo é saber a origem dos motivos para apoiar Lula. É o partidarismo ou a predisposição para acreditar em teorias conspiratórias? Não sei, é preciso fazer pesquisas específicas sobre isso. Mas a paranoia não pode ser subestimada como filtro de informações políticas. E aí não há fact-checking e campanha com programas partidários claros que faça diferença”.

Íntegra do artigo

justiça - carlos reis

(imagem: Carlos Reis)

Anúncios


Categorias:Cepesp na Mídia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: