Incentivo ao micro empreendedor individual é reduzido

Segundo estudo de Rudi Rocha, pesquisador do Cepesp, o programa Microempreendedor Individual (MEI) tem impacto positivo para aqueles que têm faturamento maior e acaba em poucos meses. Além da renda do trabalhador que vira MEI não crescer, é negativo o efeito líquido para arrecadação de impostos.

“O único benefício que parece existir mais claramente é o subsídio para acesso a benefícios previdenciários”, o que, por outro lado, prejudica a arrecadação da Previdência.  “Se pessoas que já estão dispostas a se formalizar fazem isso através de um programa que subsidia aposentadoria, de fato a arrecadação tende a cair”, explicou Rocha em entrevista ao jornal Valor Econômico.

mei

Rocha afirmou que a formalização do trabalho – isto é, segurança jurídica na realização de serviços – não faz diferença para aqueles que se tornam empreendedores e significa mais um custo mensal. “No Brasil, uma grande parte das pessoas são empreendedoras por necessidade ou oportunidade. Para elas, a formalização não apresenta benefícios claros, pois a inserção dessas pessoas no mercado de trabalho já é informal em várias outras dimensões”, disse.

Leia entrevista na íntegra no Valor Econômico.

Anúncios


Categorias:Cepesp na Mídia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: