Pesquisador analisa reflexos políticos das prisões do mensalão

O pesquisador do Cepesp Cláudio Gonçalves Couto foi um dos convidados do programa Painel, da Globo News, para discutir os reflexos políticos das prisões dos condenados do mensalão. Também participaram do debate o cientista político do Insper Carlos Melo e o professor da FGV Rubens Glezer.

Couto defendeu que os condenados no processo não são “presos políticos”, como alardeiam o ex-ministro José Dirceu e ex-presidente do PT José Genoino. O professor, no entanto, questionou a maneira como as prisões foram executadas.

“Eu não acho que são presos políticos, acho que são políticos presos. A gente pode até discutir elementos do processo, se houve excessos. Por exemplo, agora nas prisões, há indícios de que houve excesso: levar para regime fechado pessoas que tiveram direito à regime aberto; levá-los para Brasília quando eles poderiam ficar em seu domicílio. Mas isso não os torna, necessariamente, presos políticos. Nós estamos num Estado de Direito, esse Estado de Direito funciona. Isso não quer dizer que o Judiciário não seja um órgão sujeito a pressões. Ele é sujeito a pressões, da opinião pública, da mídia, dos grupos de interesse. Mas isso é assim em qualquer regime democrático”, disse Couto.

Os convidados também discutiram a qualidade do sistema prisional, a desconfiança da população em relação às instituições e as manifestações de junho.

Assista a íntegra do programa:

Parte 1
Parte 2

Anúncios


Categorias:Cepesp na Mídia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: