Sérgio Praça: Vamos falar sobre São Paulo

Vamos falar sobre São Paulo? (I) Transportes

Por Sérgio Praça, para revista Época Negócios.

Celso Russomanno pediu e vou atender. Este post inaugura uma série que vai tratar, nos próximos dias, de comparar os programas de governo para a prefeitura de São Paulo propostos por Fernando Haddad (PT) e José Serra (PSDB). O trabalho é feito por mim, Sérgio Praça, e Daniela Costanzo, graduanda em Ciências Sociais pela USP e bolsista de iniciação científica da Fapesp.

Quatro critérios, explicados em post anterior, orientam a análise. Adicionamos também a existência de metas quantificadas para cada proposta específica. Os critérios são:

1) As propostas têm certo grau de controvérsia?;

2) Há um equilibrio razoável, no programa de governo, entre propostas específicas e genéricas?;

3) As propostas são de competência jurisdicional do cargo que se almeja?

4) As propostas têm alto grau de incerteza em relação ao “estado das coisas” atual?

O candidato Fernando Haddad (PT) apresenta 48 propostas, em seu programa de governo, sobre transportes. Dessas, 27 são específicas, o que indica um equilíbrio entre especificidade e genericidade.

35 de suas 48 propostas são muito pouco controversas, enquanto para 13 é bem fácil imaginar argumentos prós e contrários.

Apenas 2 das 48 propostas têm metas quantificadas. São elas: A construção de 150 quilômetros de novos corredores, dentre os quais Celso Garcia, Ragueb Chohfi, Radial Leste, Aricanduva e Jacú Pêssego que atenderão a Zona Leste e a implantação de 150 quilômetros de faixas exclusivas para ônibus. E 10 das 48 propostas são, inequivocamente, de competência exclusiva do prefeito. 35 das 48 propostas de Haddad têm baixo grau de incerteza em relação ao status quo, enquanto o restante têm incerteza “mediana”.

O candidato José Serra (PSDB) apresenta 27 propostas sobre transporte em seu programa de governo. Dessas, 14 são muito pouco controversas, como a expansão da rede de metrô (que é, aliás, muito mais da competência do governo estadual do que da prefeitura).

Serra ganha de Haddad em “especificidade” das propostas. Apenas 5 das 27 são genéricas, e 20 têm meta quantificada. Isto facilitaria a cobrança posterior das metas pela população.

Quanto à incerteza trazida pelas propostas de Serra, uma, em especial, traria alta incerteza. É a proposta para “implementar o programa de táxi elétrico, aumentando a frota de veículos movidos a energia limpa na cidade e reduzindo as emissões de gases de efeito estufa, bem como expandir significativamente a frota de táxis acessíveis”. Os táxis paulistanos merecem um post à parte.

Veja abaixo a lista completa de propostas e nossa análise.

José Serra – Transportes

Fernando Haddad – Transportes

Leia ainda: As quatro caracterísitcas (abstratas) de um bom plano de governo.

http://colunas.revistaepocanegocios.globo.com/estadoecia/2012/10/08/as-quatro-caracteristicas-abstratas-de-um-bom-programa-de-governo/

Anúncios


Categorias:Cepesp na Mídia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: